O terraço e a caverna

domingo, 21 de maio de 2017

Era uma vez uma menina chamada Quinha, que vivia com os pais, o irmão e o avô numa cobertura na Zona Sul do Rio de Janeiro. A casa de Quinha era grande, luxuosa e colorida. Os pais de Quinha a amavam e não conheciam qualquer dificuldade financeira. Mas, apesar de tudo, Quinha não era feliz. Com apenas 11 anos de idade, a menina sofria a Síndrome das Pessoas Inexistentes, moléstia semelhante ao autismo, que a fazia viver num mundo sem pessoas. Quinha não enxergava os seres humanos com quem convivia. Seu universo era feito de lugares vazios. Apenas a internet possibilitava alguma comunicação com os outros, que para ela não passavam de personagens numa tela.

Longe dali, havia Paco. Preso a uma cadeira de rodas, vivendo com a família numa estação abandonada do metrô (foram expulsos da comunidade onde moravam pelo chefe local do tráfico), Paco vê os dias passarem diante do computador que o pai roubou. Nas redes sociais, seu perfil é cheio de revolta, amargura e insatisfação. Até aquele dia em que, na rede, uma menina tímida, de nome Quinha, atraiu a sua curiosidade.


O TERRAÇO E A CAVERNA é uma fantasia urbana em que a ação, mais do que fora, ocorre dentro da cabeça da protagonista. No mundo particular por onde transita a pequena Quinha, um gato pode não apenas falar e voar, mas nos levar a lugares repletos de estranheza. Construídos com o mesmo material instável, provocante e ameaçador que encontramos nos sonhos. A imaginação, principalmente a de uma criança, é imprevisível e pode tudo.

Mas o romance é também a história de Paco. Da realidade sólida e de gosto amargo que a fantasia de Quinha procura evitar. Na caverna em que se instalou com a família, Paco externa seus pensamentos, quase sempre hostis, contra um inimigo que ele acha que está em todos os lugares e em todas as pessoas. No entanto, ainda há uma criança dentro das mensagens lançadas como golpes, como armas. Uma criança que a agressividade do mundo não destruiu.


Um encontro entre essas duas crianças, de mundos tão diferentes, seria improvável. Mas isto não é empecilho para o destino.




Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Recebidos - Belas Letras

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Olá, leitores!

Hoje vamos mostrar para vocês um pouquinho dos bebês enviados pela editora Belas Letras no último mês. Vocês já sabem como eu amo os pacotinhos que esta linda editora envia, não é? E desta vez essa garrafinha veio no pacote para aumentar ainda mais o arco-iris que saiu da minha boca quando a peguei nas mãos. Amei, amei, amei! Isso é o que eu chamo de carinho e atenção com os parceiros! Obrigada, Bela Letras! Além disso, os livrinhos, sempre com diagramação exemplar, chegaram junto com esse marcadores fofuxos! Vamos conhecer um pouquinho mais sobre eles?

O nosso último post já falou um pouquinho para vocês sobre o "Mãe sem manual" (Clica aqui para ver! Clica, Clica!). 

A gravidez é sinônimo de alegria e bem-aventurança instantâneas, está escrito na página zero do manual das mães das novelas, filmes e contos de fada. Você vai reluzir, cintilar, sentir-se plena e absoluta desde o momento em que descobriu que vai colocar uma criança nesse mundo. Mas pode não ser bem assim. Como estamos entre amigas, vamos falar a verdade aqui. Este é um antimanual: foi criado para mostrar que nem sempre há certo ou errado quando o assunto é maternidade. Para desconstruir (e rir) dos mitos que às vezes nos fazem sentir inseguras, culpadas ou nos fazem perder muitas noites de sono à toa. Este livro é um abraço apertado em cada mãe que às vezes erra, sempre querendo acertar, e às vezes acerta, tendo certeza de que, no fundo, está errando.


Junto com ele, vieram mais dois livros. Grumpy Cat: Um livro azedo, que é o que me promete ótimas risadas e estou bem curiosa pela leitura! hahaha Só pelas fotos já dá para ver o motivo.

Grumpy Cat é o gato mais mal-humorado que você já viu. Neste livro, o fenômeno mundial da internet vai mostrar que ser azedo não é um talento que vem de berço; qualquer um, com muito treino e determinação, pode desenvolver. Conheça a breve história do Grumpy Cat (incluindo todos os sonhos que ele já arruinou), descubra bons motivos para odiar cachorros (e pessoas) e pratique seu mau humor em jogos criados especialmente para você se sentir frustrado. Com todas essas dicas, o Grumpy Cat finalmente espera que você o deixe em paz. E, por favor, não se divirta ao ler este livro. Porque se divertir é horrível!




O último baby do pacote foi "Quando falta ar", um livro que faz parte do projeto "Compre um livro, doe um livro", promovido pela editora. Confira mais sobre o projeto na penúltima foto do post.

Quem conhece a Associação De Peito Aberto e convive com todas as crianças não imagina nem um centésimo de tudo que suas famílias, e principalmente suas mães, passaram nos últimos anos. Na APA elas brincam, são atendidas por fisioterapeutas, têm auxílio pedagógico, psicológico e muito carinho. Os personagens deste livro são crianças pobres vindas de todos os cantos do Rio Grande do Sul que sofrem com problemas respiratórios, são atendidas pelo Sistema Único de Saúde e apoiadas pela APA e por pessoas que muitas vezes nem as conhecem, mas ajudam com doações.



E só para deixar ainda mais o meu amor, uma foto mais próxima da meu mais novo xodó: minha garrafinha Belas Letras! <3





Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Resenha – Mãe sem manual

domingo, 14 de maio de 2017
Título: Mãe sem manual
Autora: Rita Lisauskas
Editora: Belas Letras 
Número de páginas: 111



Por: Brenda Sousa

“Então ser mãe é isso, pensei, um amor que chega, invade todos os espaços e põe ordem na bagunça.”
Mãe sem manual - Rita Lisauskas

Sabem essas cenas lindas que passam em propagandas na TV? Tipo essas famílias de margarina, mulheres passeando todas de branco durante a menstruação e tal? A ideia de que a maternidade é algo perfeito também está nesse bolo. O livro “Mãe sem manual” vem trazer exemplos claros e algumas explicações bem iniciais sobre esse período louco na vida da mãe e do bebê, recém chegado ao mundo, assim como na vida do pai dentro desta recém formada família. Não são mil maravilhas, não é um paraíso no qual mergulhamos de cabeça.

Rita Lisauskas nos apresenta um pouco desse universo que foi recentemente experimentado por ela. Desde o momento da gravidez e para o resto da vida haverá inúmeras questões e infinitos desafios nesta relação com seu filho ou filha, além da relação com todo mundo que está ao redor, cheios de opiniões para dar e enlouquecer a cabecinha dessa nova família. 


Desde que ingressei na área de saúde e me interessei pelas questões que envolvem o parto, puerpério e a maternidade como um todo, aprendi e descobri várias coisas que são ditas neste livro. E eu repito para vocês: sei de muitos horrores que acontecem envolvendo esse período da vida de uma mulher, sei que não é fácil e que jamais saberei o que realmente é ser parte disso até realmente ser, mas mesmo assim, mesmo assustada em vários momentos, a forma como tudo isso vem me afetando é: Sim, quero ter filhos. Esse livro é mais um exemplo disso.

Fiz questão de ler o meu exemplar em dois dias para conseguir postar essa resenha no dia de hoje: Dia das Mães. E a leitura só me fez refletir ainda mais sobre o papel que as mães (sejam ela biológicas ou não) tem nas nossas vidas. Já pararam para pensar quanto sofrimento, quanta abdicação, quantos desafios elas enfrentaram para que chegássemos onde estamos hoje? Esse é o maior exemplo de amor que consigo imaginar. O livro, além de uma lição para tirar das nossas mentes que a maternidade é apenas um paraíso, serve para mostrar a nobreza de aceitar assumir esta posição com tanto afinco e dedicação. Obrigada, mães!


Só para finalizar: vou gritar para sempre que a diagramação da Editora Belas Letras é EXEMPLAR sempre! Poucos livros de outras editoras demonstram ser tão bem cuidados em uma diagramação diferenciada e cheia de detalhes fofinhos no decorrer de suas edições como os da Belas Letras. Esse é mais um exemplo, desde a fonte e cor dos textos até as imagenzinhas e entradas de capítulos, de algo que é um diferencial importante da editora. Parabéns aos responsáveis, mais uma vez! <3 


E Rita, obrigada por publicar este livro! Obrigada por trazer a realidade e ajudar para que muitas mulheres não sejam pegas de surpresa nem sofram além do que o processo em si já implica para elas. Muito, muito obrigada!





Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





6 on 6 - Dia da Literatura Brasileira

terça-feira, 9 de maio de 2017

Olá, leitores!

Chegando um pouquinho atrasada para este post (mais uma vez, me aceitem!!!)! Voltamos aqui com o nosso 6 on 6 do mês de Maio! O/


Neste mês o tema escolhido foi em homenagem ao dia 1º do mês, que além de ser feriado, é comemorado o Dia da Literatura Brasileira. As fotos que eu tirei para esta comemoração foram de alguns livros nacionais que tenho na minha estante, buscando trazer ALGUNS dos autores que mais gosto. Não são todos, porque são muitos MESMO, mas trouxe alguns para vocês! Vamos ver as nossas fotos do mês? 


Autora 1. A. C. Meyer (Foto: Série After Dark)
Eu sou COMPLETAMENTE apaixonada por essa série e a A.C. Meyer é uma autora tão fofa com seu público que não poderia deixar de estar aqui. <3 Obrigada por reforçar a qualidade da nossa literatura!



Autora 2. Cláudia Lemes (Foto: Eu Vejo Kate)
Esse foi um dos melhores (senão o melhor) livro(s) que li em 2016 e até hoje é um dos que está no meu top 5 literário da vida! Já li outro livro da autora e continuo encantada com a força que suas palavras tem em cada uma de suas histórias! Obrigada por reforçar a qualidade da nossa literatura! 



Autor 3. Augusto Cury (Foto: Vários livros do autor)
Augusto Cury foi um dos primeiros autores nacionais que li com a consciência da qualidade da nossa literatura. Os livros dele mudaram a minha forma de enxergar coisas no mundo e como conviver com elas, além de suas histórias serem divertidas e nos fazerem refletir muito também sobre nós mesmos. Obrigada por reforçar a qualidade da nossa literatura! 



Autora 4. Beatriz Cortes (Foto: livros "O outro lado da memória", "Aonde quer que eu vá" e "Por uma questão de amor)
Mais uma autora nacional, muito jovem, e com muito talento! Além de tudo trata muito bem seus leitores e demonstra um orgulho enorme de suas histórias. Só li 2 dos três livros da foto por enquanto, mas gostei de ambos. Tive que trazê-la aqui porque é uma parceira nossa muito especial e que sempre nos tratou muito bem, além de ter histórias muito gostosas! <3 Obrigada por reforçar a qualidade da nossa literatura! 



Autora 5: Rebeca Melo, que recentemente adotou o nome de Becca Mackenzie (Foto: Rainha dos corações congelados)
Não tenho nem palavras para descrever o quanto eu adooooro suas histórias e o quanto sou grata por ter conhecido essa autora tão fofa e talentosa! Já li alguns de seus livros e sou super fã do seu trabalho. Super indico para quem curte ler fantasia. Ela tem histórias ótimas e é uma pessoa muito criativa. Nos leva a mundos diferentes em um piscar de olhos! Obrigada por reforçar a qualidade da nossa literatura! 



Autora 6. FML Pepper 
Esta é uma autora que está na minha listinha de leituras a muito tempo e só agora consegui comprar seus livros. Ainda não li, mas a expectativa é bem alta. Espero gostar. <3 Obrigada por reforçar a qualidade da nossa literatura! 



FOTO EXTRA: Mix de autores + Homenagem
Essa minha última foto é para lembrar que há muitos outros autores nacionais fantásticos e para agradecê-los pelo engrandecimento que trazem cada vez mais à nossa literatura. Além disso, uma homenagem com um dos livros mais fofuxos de uma participante do nosso projeto e também autora parceira do blog: Alana Gabriela. <3 Parabéns atrasado para você também, moça! Obrigada por nos permitir curtir o que você escreve com tanto talento e cuidado! 



Confira as outras participantes do projeto:



Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos
 
© Postando Trechos, VERSION: 02 - Dentro do céu - Agosto/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo