Blogs literários - Indicação

segunda-feira, 29 de junho de 2015
Boa tarde, leitores!

Para quem curte blogs literários, o post de hoje está recheado deles! Cada um mais bonito e fofo que outro! Sigam e acompanhem também as suas aventuras literárias! Basta clicar nas imagens e vocês serão direcionados a cada um dos blogs abaixo:






 






  

Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Resenha - Corrente Sanguínea

sábado, 27 de junho de 2015
Título: Corrente Sanguínea.
Autor(a): Tess Gerritsen.
Número de páginas: 415.
Editora: Record.


Por: Brenda Sousa

"Quando a violência ocorre, Claire, faz parte da natureza humana perguntar o porquê. Mas a verdade é que nem sempre sabemos por que as pessoas matam umas às outras." 
 Corrente sanguínea, Tess Gerristsen.

Claire Elliot é uma médica bem sucedida que a 8 meses mora na pequena cidade de Tranquility com seu filho Noah de 14 anos. Se mudaram para a cidade em busca de um novo começo, logo após a morte do marido e pai em questão. Noah sempre fora contra a mudança, porém não havia muito que pudesse dizer, uma vez que algumas de suas ações na cidade anterior foram responsáveis pela mudança drástica na vida dos dois. Dentro desses 8 meses, Claire busca ser tão bem sucedida quanto fora na cidade em que morava, mas até então as pessoas parecem não se importar muito com a presença dela, e até preferem ir na cidade vizinha visitar seus médicos. A justificativa dos habitantes de Tranquility é que novatos na cidade geralmente não resistem aos fortes invernos da região e acabam desistindo de morar lá, então, porque criar uma relação com um médico quando se suspeita que ele não vai estar lá por tanto tempo, certo? 

O caos na cidade começa quando um adolescente, da turma de Noah, conturbado aparentemente  devivdo à separação dos pais, se irrita na sala de aula e retira uma arma da mochila. O garoto era o melhor amigo de Noah, e já a algum tempo vinha agindo de forma raivosa, diferente do seu normal. O garoto atira na professora e se volta para atirar nos colegas. Noah treme de desespero, mas ao ver seu ex-melhor amigo mirar a arma em Amelia, a garota pela qual Noah estava apaixonado, ele age e acaba retirando a arma da mão do amigo, num ato heróico reconhecido por toda a escola. Desde esse acontecimento, outras ações de adolescentes raivosos são desencadeadas pela cidade e não se sabe ao certo qual a explicação para isso. 

Todos os adolescentes em questão costumavam ser garotos doces e tranquilos, mas passaram a ter ações drásticas uns contra os outros, e mesmo contra os adultos, diante de situações muito simples. Estes fatos lembram aos habitantes mais antigos de Tranquility algo que já aconteceu em 1946 e os deixa apavorados. Assim, com a frequente recorrência de casos com adolescentes raivosos, Claire e o chefe de polícia Lincoln Kelly passam a tentar descobrir uma possível razão, seja médica ou não, para resolver este problema. Além do que, o interesse de Claire passa a ser muito maior depois que ela percebe características semelhantes se desenvolvendo no seu próprio filho. Conforme a busca e os acontecimentos avançam no livro, Lincoln e Claire se aproximam e criam aí uma atmosfera um pouco mais light dentro do thriller de Tess Gerritsen.


O livro é extremamente desesperador! A leitura se dá de forma rápida e conforme os capítulos vão se passando, a vontade que dá é de devorar o livro inteiro de uma vez. É um suspense policial cheio de reviravoltas, cheio de suspeitas que vão se quebrando e nos deixando desesperados juntos com os personagens. Para quem gosta de ter o coração indo até a boca até o último capítulo, fica aqui a dica para a leitura de "Corrente Sanguínea".
Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Comentários - "A herdeira" (Kiera Cass).

quarta-feira, 24 de junho de 2015
Título: A herdeira.
Autor(a): Kiera Cass.
Número de páginas: 387.
Editora: Seguinte.


Por: Brenda Sousa.

"Há coisas sobre nós mesmos que só aprendemos quando deixamos alguém se aproximar de verdade." 
A herdeira, Kiera Cass.


O que dizer deste livro? Quando terminei, pensei em fazer uma resenha da mesma forma que tenho feito sobre os outros livros que leio. Mas aí mudei de ideia, porque acredito que, quem ainda não leu, precisa começar o livro sem saber do que se trata e sem ter uma ideia prévia do andamento desta história, então decidi fazer os meus comentários e contar um pouco da minha experiência lendo este livro.

Poucos são os autores que conseguem me prender numa série literária. Eu geralmente enjoo e interrompo para depois retomar a leitura (não por não gostar, mas porque gosto de variar bastante os gêneros literários). Mas Kiera Cass assumiu um poder sobre mim que eu não sei explicar! Sou uma grande fã da série "A seleção" e corri desesperada para a livraria para comprar "A herdeira" o mais rápido que pude. Como em todos os outros livros da série, a leitura foi extremamente rápida, fluida e divertida. Senti um misto de pena e ansiedade pela situação da Eadlyn, passei a gostar de todos os outros personagens e compreender um pouco o lado de cada um nessa história.

A grande diferença deste livro para o início da seleção anterior, é que nós não temos a mínima ideia durante todo o livro sobre com quem Eadlyn pode acabar ficando! Eu confesso que gostei de vários dos garotos, mas tenho meus dois preferidos. Tenho as minhas desconfianças sobre a entrada de Erick junto com Henri, e acho que isso ainda pode gerar confusão. Sobre Kile... Melhor não comentar. Evitar os spoilers é essencial, mas devo dizer que me apaixonei por ele também, e mantenho meu receio com relação à sua situação na seleção e ao seu desejo de se afastar de tudo. 

No geral, para além do momento da Eadlyn, foi muito legal ver as referências à seleção de Maxon e America, vê-los agora como Rei e Rainha e alguns comentários sobre o decorrer de suas vidas juntos. Muito bom poder ver também que algumas das meninas permaneceram amigas da America. Gostei bastante também nas mudanças que foram feitas no reino e da forma coerente com a qual a Kiera lidou com isso, sem deixar que o livro perdesse a graça e desempolgasse os leitores. 

Por fim, eu SUPER indico a leitura. Extremamente gostosa e apaixonante, assim como a escrita da Kiera vem se mostrando desde o primeiro livro da série "A seleção". Ahh!! Aviso aos navegantes que ainda não estão informados, "A seleção" será adaptado para os cinemas em breve pela Warner! (Para mais informações, clique aqui). Não sei se me animo ou me assusto, mas vejamos o que eles vão fazer. Só espero que a história seja mantida sem grandes modificações. Animados?

Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Resenha - Aurora

quinta-feira, 18 de junho de 2015
Título: Aurora
Autor(a): Li Mendi.
Número de páginas: 129.



Sinopse: Aurora mora em uma pequena cidade no ano de 3010 e guarda um segredo sobre sua natureza, não pode receber partes biônicas em seu corpo, nem modificá-lo pra retardar sua morte. Como os antigos humanos, é frágil e precisa se cuidar pra passar desapercebida entre os superhumanos que estudam em sua escola. Só que a tarefa fica mais difícil quando Douglas aparece na pequena cidade e chama a atenção das supermeninas, perfeitamente preservadas pela avançada tecnologia cosmética da qual Aurora não pode tomar mão. Um livro que vai te emocionar com a força do amor que dura apenas uma curta e breve vida. 


Por: Brenda Sousa

"Amor era um sentimento humano, porque implica perda, quem ama sabe que pode perder." 
 Aurora, Li Mendi.

Como dito na sinopse, "Aurora" é um livro que se passa num futuro muito distante do nosso e, com ele, temos muitas novidades no funcionamento da sociedade. Tudo se passa em uma das poucas cidades que ainda tem alguma natureza original, um local tranquilo e repleto de super humanos. No meio disso tudo está Aurora, uma garota de longos cabelos ruivos cacheados e humana. Fora adotada por um casal de super humanos e criada sempre às escondidas, evitando revelar o segredo da sua natureza para as pessoas ao redor sob a punição de ser expulsa até mesmo da sua escola incrível de super humanos e de ser linchada por eles, em situação mais extrema.

Aurora vive se exercitando fortemente, na tentativa de manter seu corpo e sua saúde no geral ao menos semelhante a dos super humanos com quem convive. Seus pais sempre a alertaram para a impossibilidade de se relacionar de forma mais próxima, romântica, inclusive, com um super humano, devido aos inúmeros riscos envolvidos. Mas nós não controlamos essas coisas, certo? Aurora acaba conhecendo Doug, recém chegado à cidade com sua família, e toda a história começa a se desenrolar a partir daí.

Fiquei tensa com a situação de Aurora a partir do momento que comecei a entender como as coisas nesse mundo do futuro funcionam. É angustiante vê-la se exercitando e sofrendo com isso, assim como sua intensa preocupação com sua alimentação, seus machucados, cada passo dado em si, quando ao mesmo tempo super humanos se recuperam de forma rápida e não precisam agir como ela. A apresentação de Doug me fez imaginar um Deus grego, e tenho minhas dúvidas de que ele realmente é um! haha' Durante todo o livro é possível sentir um desejo de estar no lugar dele e logo em seguida um alívio por ser uma humana nesse mundo atual. Apesar de todas as situações difíceis que rodeia esse amor, me encantei com alguns de seus comportamentos e de suas palavras. Há ainda os pais dos dois e a irmã de Douglas, Gisele, que tem um papel essencial na história, especialmente no "desfecho" dela. 

O romance dos dois é proibido e ao mesmo tempo os guia em direção ao lema "regras foram feitas para serem quebradas". É o tipo de amor que nos faz pensar no verdadeiro valor da vida, daquilo que temos e somos, e do quanto vale a pena arriscar para verdadeiramente viver. É no dilema da vida deles que as histórias vão se formando e sendo reveladas, nos fazendo sonhar e torcer para um final melhor do que cada situação ruim trazida no livro.

"A vida é o que fazemos dela enquanto tentamos pateticamente fazer dar certo. Ela é uma corda que quando esticamos demais não dá música nenhuma e quando a deixamos solta, também não tem vida." 
Aurora, Li Mendi.

Como todos os outros livros da Li que já tive a oportunidade de ler até agora, meus sentimentos oscilaram loucamente do começo ao fim. Há os momentos em que o romance é apaixonante e acolhedor e nos encanta, há momentos em que estamos tensos, há momentos em que não sabemos o que pensar e há momentos que precisamos apenas terminar de ler o livro inteiro! Tenho me divertido com todos os livros da autora e com esse não foi diferente. O misto de emoções num mesmo livro faz a leitura dele sem dúvida valer a pena.

Indico esse livro exatamente por isso! É uma distração gostosa, que empolga e ao mesmo tempo nos faz pensar. Fiquei refletindo durante uma boa parte do livro sobre a situação do futuro e os passos que damos hoje em direção a esse futuro aparentemente perfeito, porém cruel. Acho que é uma leitura rica por poder proporcionar esse tipo de reflexão e acho que leitores de todos os gêneros podem gostar.

Ah! E não se desesperem com o final do livro! Aurora tem continuação. "Aurora 2" já está publicado e MUITO EM BREVE eu PRECISO lê-lo para alcançar o final da confusão formada. No geral, o livro é de leitura fácil e simples, muito divertida e não é tão longo. Dá pra ler em apenas um dia e está disponível gratuitamente online! Se joguem e divirtam-se com mais palavras escritas por Li Mendi! #ficaadica


Para ler esse e outros livros da autora ou conhecer um pouco mais do seu trabalho, sigam a Li em suas redes sociais!

instagram: @autoralimendi
twitter: @limendi
Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Julgar um livro pela capa? (Parte 1)

quarta-feira, 17 de junho de 2015
     Nós leitores sabemos muito bem que nem sempre é bom julgar um livro pela capa, certo? Mas, quantas vezes passamos pelas livrarias e diversos livros nos chamam a atenção exatamente por suas lindas capas? Ou, ao contrário, ouvimos falar sobre um livro e achamos sua história sensacional, mas quando vimos sua capa imaginamos: "que capa feia"? Pois é, essas coisas acontecem sim e fogem do nosso controle. Trazemos hoje aqui alguns exemplos de livros com capas bonitas, cujas histórias foram tão boas/bonitas quanto as suas capas (na minha opinião). São eles: 

1. O primeiro livro da série "Instrumentos mortais", Cidade dos ossos - Cassandra Clare:

Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria. 


Capa X História: Todas as capas dessa série são muito bonitas. Já tinha visto muitas pessoas comentando em Instagrams literários sobre o livro e decidi procurá-lo na livraria. A exposição de toda a série em uma só prateleira fica uma coisa linda de ver! Comprei-o e li. Adorei a história. É algo diferente, cheio de surpresas e com algumas coisas que nos exigem concentração para compreender. Para quem gosta de mundos alternativos, é um livro muito gostoso de ler. Ainda não pude ler o resto da série, mas minha lista quilométrica os inclui. Em breve, quem sabe! haha'


2. A última carta de amor - Jojo Moyes:

Sinopse: Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento.

Capa X História:  A capa é, sem dúvida, apaixonante. Quando comecei a ler, achei um pouco chato e um pouco difícil de acompanhar, mas pouco a pouco fui me acostumando com a escrita da Jojo e com a sua linha de raciocínio da história e gostei muito do livro. Ainda prefiro "Como eu era antes de você", da mesma autora, mas "A última carta de amor" também um livro bom e com uma bela história. Ainda assim, a capa para mim foi mais bonita do que a história.


3. A menina que não sabia ler, volume 2 - John Harding:

Sinopse: Um acidente de trem. Uma identidade trocada. Os detalhes poderão mudar o rumo dessa história... Depois de viver presa num mundo obscuro, assustador e sem palavras em 'A menina que não sabia ler', a pequena Florence viverá uma nova e misteriosa aventura onde nada é realmente o que aparenta ser e todos podem se tornar inimigos em potencial. Mas onde ela encontrará uma saída? Um aliado? O misterioso médico John Shepherd busca um recomeço para sua vida em um lugar nada promissor - uma ilha que funciona como uma clínica psiquiátrica exclusivamente para mulheres. Nesse antro de segredos e sofrimento, Shepherd tentará esquecer seus pecados devolvendo a humanidade às pacientes. A primeira em quem vai experimentar sua doutrina de cuidados, o 'tratamento moral', é uma atraente jovem pálida de cabelos escuros que não se lembra do próprio nome, fala de modo estranho e não consegue saber quando e como chegou àquele lugar. Por que afinal ela desperta tanto a curiosidade do médico? Entre pacientes mais inteligentes que as próprias enfermeiras responsáveis por elas, segredos por todos os lados e figuras assombrosas (e assombradas) percorrendo misteriosamente os corredores da clínica durante a noite, as vidas de Florence e John Shepherd estarão mais ligadas do que podemos imaginar.

Capa X história: Como continuação do primeiro livro, eu realmente esperava que a história fosse muito diferente do que ela realmente foi. Achei mais emocionante que o primeiro, porém se eu tivesse comprado apenas pela capa, acho que teria me decepcionado um pouco. A sorte foi que, para mim, o primeiro livro não foi tão legal, então esse superou um pouco as expectativas que eu tinha criado para ele.


Essa foi a minha opinião sobre os três livros em questão. Em breve, traremos mais três com a nossa avaliação. E vocês? Algum livro que tem a capa bonita e uma história tão boa quanto? Nos conte!

Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Nova parceria - Autora Ana Lemos

terça-feira, 16 de junho de 2015
Boa noite, leitores!

Trazemos hoje uma grande novidade para vocês! Acabamos de fechar uma nova parceria, desta vez com a Ana Lemos, autora do livro "Sempre foi você".


“Sempre Foi Você” faz parte de sua primeira trilogia romântica “Amores Traçados” que, apesar de tratar-se de uma trilogia, são livros independentes, com foco em casais de personagens diversos, embora todos os personagens sempre estarão na história de uma forma ou outra. 

A Ana é brasileira, nascida em Caxias do Sul. Desde criança sempre foi viciada em leitura, prática esta que se estendeu pela sua vida adulta, já que escolheu o Direito como seu curso de graduação, onde a leitura e a exposição de teses é muito exigida. Ela acredita que essa prática na leitura e elaboração de pareceres foi essencial para sua facilidade em descrever pessoas e situações do cotidiano.  Após a graduação, foi aprovada em concurso público, tendo exercido cargo de assessora de Juiz de Direito por mais de 17 anos.

(Foto da autora)

Hoje a Ana está no nosso mundo literário nos trazendo paixões através de seu livro e colaborando com o nosso vício pela leitura. Cá para nós, é sempre bom receber alguém que entende tão bem o nosso lado de leitores apaixonados, não? 

Em breve teremos resenha de "Sempre foi você" por aqui. Fiquem ligados! 


Para conhecer um pouco mais sobre a autora, acompanhem o trabalho dela mais de perto através dos links abaixo:

BLOG

FAN PAGE NO FACEBOOK

Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Dia dos namorados literário

sexta-feira, 12 de junho de 2015
        Nós, leitores, nos apaixonamos e reapaixonamos por alguns personagens a cada livro que lemos, certo? Muitos de nós são fãs dos romances fofos e água com açucar que temos no mercado, outros não, mas na maioria dos livros de qualquer gênero há pelo menos uma pitada de romance no meio. Trouxemos hoje alguns casais literários que geram suspiros e mais suspiros quando lemos suas histórias.

O primeiro casal que pensei foi Noah e Allie, de "Diário de uma paixão". História linda, sofrida e apaixonantes, como todos os títulos assinados por Nicholas Sparks.




"Não sou nada especial; disto estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns, e vivi uma vida comum. Não há momentos dedicados a mim e o meu nome em breve será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou". 

     Diga-se de passagem, Nicholas Sparks poderia ter sua inteira coleção de livros publicada até hoje incluida nesta postagem, certo? Vamos lá, quem mais romântico do que um homem que consegue derreter corações a cada página que lemos? hahaha' 

Vamos para o próximo. Eu não poderia deixar de citar "Para sempre", de Kim e Krickitt Carpenter. A história é real e os autores são os personagens principais, ou seja, todos os fatos foram descritos minunciosamente corretos, sem nenhum desvio das mãos de outros autores. Foi um dos livros que li na vida que mais me fez chorar, que mais mexeu com meu coração. 


"Independente dos sentimentos que minha esposa tivesse por mim, eu ainda a amava. E estava determinado a manter o juramento que havia feito, de ser fiel e me devotar a qualquer necessidade que ela tivesse." 

(Na foto, casal na vida real e casal no cinema).


Próximo: Louisa Clark e Will Traynor, de "Como eu era antes de você".  Quem leu esse livro com certeza ficou mexido dos pés à cabeça por toda a história. É outra história linda, de superação, que nós dá lições acerca de diversos assuntos e ainda assim nos faz chorar de emoção e tristeza até o fim. 

"Sei que essa não é uma história de amor como outra qualquer. Sei que há motivos para eu nem dizer isso. Mas amo você." 

Como uma grande fã, não posso deixar de citar Maxon e America de "A seleção", certo? Amor totalmente conturbado, nada convencional e que desde o princípio da saga fez nossos corações se derreterem com declarações meio tortas, porém muito bonitas. Acho difícil, quase impossível, ler a saga e não se apaixonar pelo casal em questão. *_*

"Nunca senti nada que fosse tão especial quanto aquele beijo. Gostaria que fosse algo que eu pudesse pegar com uma rede ou colocar em um livro. Gostaria que fosse algo que eu pudesse guardar e, ao mesmo tempo, contar para todo mundo: é isso, é assim que você se sente quando se apaixona."

Desde a minha infância, Meg Cabot conquistou meu coração com Mia E Michael. Os leitores de "O diário da princesa" sabem bem o que eu estou falando. São 10/12 livros (e mais um vem vindo aí) com a história meio louca entre os dois. Eu citaria especialmente o terceiro livro da série, "A princesa apaixonada", que contém um poeminha trocado entre eles que foi a coisa mais fofa! 



"Rosas são vermelhas, 
Violetas são azuis. 
Você pode não saber, 
Mas alguém ama você."
(de Mia pra Michael).

"Rosas são vermelhas, 
Violetas são azuis. 
Você pode não saber, 
Mas eu também amo você."
(de Michael pra Mia).





Aos fãs de "Fazendo meu filme", eu não deixaria Fani e Leo fora dessa! Ainda não li o quarto livro, portanto ainda não sei o desfecho desta história, mas dentre os livros de "amorzinho", como a própria Fani fala, eles são com certeza um dos casais mais fofos! 

"Quando encontramos um amor de verdade e algo nos impede de vivenciá-lo, o sofrimento é automático." 

Para fechar o post, dentre tantos outros casais lindos e apaixonados, vamos com um que se tornou um clássico da literatura mundial: Augustus Waters e e Hazel Grace. Romântico, avassalados, apaixonante e com um desfecho extremamente choroso, John Green conseguiu conquistar os corações de pessoas de todas as idades ao redor do globo. Por que será, não é? 


“Mas eu acredito em amor verdadeiro, sabe? Não acho que todo mundo possa continuar tendo dois olhos nem que possa evitar ficar doente, e tal, mas todo mundo deveria ter um amor verdadeiro, que deveria durar pelo menos até o fim da vida da pessoa.”



Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





"Royal wedding" - 11º volume da série "O diário da princesa".

segunda-feira, 8 de junho de 2015
       Aos fãs de Meg Cabot, vem aí uma continuação para a série "O diário da princesa". Neste volume Mia e Michael estão planejando (finalmente!) o casamento real!


         Os últimos 5 anos desde que Mia se formou na faculdade tem sido conturbados com a vida em Nova Iorque, a necessidade de administrar seus negócios e lidar com seu namorado e seus compromissos reais. E, como nada são flores, alguns probleminhas podem surgir no caminho deles. 
  
         E a promessa de um upgrade na história vem com a belíssima possibilidade de uma lua de mel no Caribe! 


De acordo com a própria Meg no facebook e com a página sobre "Royal Wedding", o lançamento está previsto no Brasil em Outubro deste ano (como era de costume com os volumes anteriores dos diários de Mia).

E então, animados?? 


Ps. No site oficial já podemos ver a playlist do casamento e a lista de planejamento dos detalhes da festa! Cada um mais lindo que o outro! Há ainda a possibilidade de ler o comecinho do livro, em inglês!


Perfil da Meg Cabot no facebook: https://www.facebook.com/megcabot?fref=ts
Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos





Resenha - A sombra do vento

sábado, 6 de junho de 2015
Título: A sombra do vento.
Autor(a): Carlos Ruiz Zafón.
Número de páginas: 399
Editora: Suma de letras.


Por: Brenda Sousa

"Os livros são espelhos: neles só se vê o que possuímos dentro." 
A sombra do vento, Carlos Ruiz Zafón.

"A sombra do Vento" é um livro que fala sobre um livro. Interessante, não? Daniel, cuja mãe é falecida, vive apenas com seu pai e, em determinado período da sua vida, seu velho lhe leva a um lugar chamado "cemitério dos livros esquecidos", fazendo-o prometer manter segredo sobre o lugar. Trata-se de uma espécie de biblioteca secreta, para onde vão todos os livros que as pessoas já não mais lembram, se importam ou leem. Lá, seu pai pede que ele escolha um livro para adotar. Sim, adotar. Segundo o pai de Daniel, quando temos um livro conosco, não somos donos deles, mas sim o adotamos e somos responsável por cuidar dele da melhor maneira possível. Daniel dá uma volta no local e um livro lhe chama muita atenção: "A sombra do vento", de Julián Carax. Ele pergunta se o pai já ouvira falar no autor e ele comenta que não. Assim, Daniel decide levar este livro com ele.
O pai de Daniel é dono de uma livraria e Daniel o ajuda como pode no estabelecimento. Aos poucos, conforme lê o livro que adotou, Daniel se apaixona e fica fissurado na história. Passa a carregar o livro consigo para todo lugar que vai. Uma grande curiosidade lhe toma a alma: descobrir quem é Julián Carax, se há outros livros escritos por ele e onde eles podem ser encontrados. Seu pai lhe encaminha para um livreiro, Gustavo Barceló, quem acha que será capaz de explicar quem é Julián Carax.

No seu primeiro encontro com Barceló, ao perceber de qual livro e qual autor se tratava, o livreiro faz várias ofertas a Daniel para que lhe venda o livro, ao qual ele responde que jamais o fará. Barceló fica intrigado e marca um segundo encontro com Daniel para o dia seguinte, para que pudessem conversar melhor. Neste encontro, Barceló leva sua sobrinha, Clara. Pouco depois, Daniel descobre que todos os livros já publicados por Carax no mundo foram queimados e destruidos e o seu exemplar é o único restante. A presença de Clara não fora por acaso, afinal, segundo seu tio, ela era especialista em Julián Carax. Clara era cega, mas outras pessoas ao seu redor liam os livros de Carax para ela, os quais ela adorava. Ela apresenta um pouco de cada um para Daniel, o que faz aumentar ainda mais a curiosidade do garoto sobre o autor. Clara lhe conta também que, uma vez, uma pessoa comentou com ela algo sobre Carax. Um desconhecido, na rua, que recusou a dizer seu nome, porém permitiu que ela lhe tocasse o rosto. Segundo Clara, era um rosto com aspecto de queimado, com poucas feições restantes. Aos poucos, apesar da diferença de idade, Daniel acaba se apaixonando por Clara e passa a visitá-la e ler todos os dias para ela, até que certo dia lhe ocorre uma enorme decepção e ele se afasta de vez da garota. Após o afastamento, em um fim de tarde em que estava sozinho na rua, um rapaz aproxima-se dele pedindo que lhe entregue o livro. Daniel recusa e, ao olhar para o rapaz, percebe que é o mesmo rosto queimado, escondido sob um capuz, sobre o qual Clara havia comentado com ele. Neste momento ele se dá conta da importância do seu volume de "A sombra do vento" e resolver escondê-lo no cemitério dos livros esquecidos, em um lugar que só ele soubesse identificar.

Mesmo se afastando da garota e do livreiro, Daniel não desiste de mergulhar a fundo na história de Carax. Alguns anos se passam, muita coisa acontece e, certo dia, por acaso do destino, Daniel encontra, jogado na rua, um rapaz vítima das mãos do famoso inspetor Fumero, violento e sem pena de nenhum ser humano. Fumero não se importava em quem batia, mas sendo um homem de rua, era ainda mais um motivo para tanto. Daniel conversa um pouco com o rapaz, e resolve levá-lo para a sua casa, onde seu pai o recebe de braços abertos. Assim, surge uma grande amizade entre Daniel, seu pai e Fermín Romero de Torres. Este é o rapaz que, então, será o maior braço direito de Daniel durante toda a história na busca por Julián Carax.

O grande mistério do livro está em torno da tão complexa busca de Daniel por Carax. Uma curiosidade da infância leva anos presa em sua mente, até que ele começa a encontrar as primeiras pistas, as primeiras histórias de alguém que o conhecia, e a correr atrás profundamente. Muitos personagens vão surgindo, mentiras são contadas e descobertas, Fermín e Daniel correm grandes perigos de vida e pouco a pouco vão entendendo a roubada em que se meteram quando decidiram conhecer um pouco mais sobre o autor em questão.

A linguagem do livro não é tão simples, porém é muito interessante acompanhar a leitura atentamente e perceber os detalhes em cada ponto da história. Em diversos momentos do livro dei muitas risadas com as tiradas do inteligentíssimo Fermín Romero de Torres e ao mesmo tempo sofri de tanta preocupação pelas peripécias dele e de Daniel. Diversos outros personagens vão sendo envolvidos e cada um tem sua importância para o desfecho do grande mistério de quem é Julián Carax.

O livro é dividido em épocas conforme certos acontecimentos marcantes da história. Engoli as últimas 200 páginas de uma só vez, curiosa pelo final da grande confusão que esta busca deles se tornou. De fato, é muito difícil falar sobre "A sombra do vento", pois é uma história cheia de detalhes e todos eles são importantes, porém impossíveis de serem trazidos nesta resenha, sem contar spoilers. haha'

Por fim, Carlos Ruiz Zafón teve um raciocínio magnífico ao criar a história deste livro e soube preencher cada lacuna que vai se formando na história, não deixando nenhuma dúvida sobre o desfecho de cada personagem e porque eles se deram como se deram. Ele nos traz romance, suspense, problemas familiares, preconceitos, dentre muitas outras outras coisas, portanto temos de tudo um pouco em "A sombra do vento". Fica a indicação para quem gosta de suspense e tem um pouco mais de paciência para lidar com uma linguagem um pouquinho mais complicada, cheia de informações ao mesmo tempo.


"As pessoas complicam a vida, como se ela não fosse suficientemente complicada."
- A sombra do vento, Carlos Ruiz Zafón.

Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos
 
© Postando Trechos, VERSION: 02 - Dentro do céu - Agosto/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo